domingo, 6 de junho de 2010

2010: Ano da minha vida

Oiii gente!
Bem, depois de muito tempo sem postar nada, resolvi me aventurar novamente.
Como deu para peceber, a Residência acabou. queria ter continuado a postar, mas era tanta coisa para fazer que tive que escolher entre dormir seis horas ou ficar na net.
Vou resumir um pouquinho. Passei por diversas editorias: política, dia-a-dia, polícia, economia, CBN, Em Movimento, esportes... em todas, a experiência foi única. É muito diferente ao mesmo que é muito igual a forma de apurar e ainda mais de escrever. Jornalistas incríveis passaram pelas palestras matinais para revelar um pouco do que é jornalismo e só quem está lá, na batalha, todo dia, sabe do que estou falando. Não posso dizer: "Esqueçam tudo o que vocês aprenderam na faculdade" porque seria exagero da minha parte, mas posso dizer para todos abrirem as mentes porque ser jornalista é muito mais do um curso de quatro anos. Inexplicável. Não posso falar muito porque sou uma pessoa apaixonada pela profissão e tudo o que eu disser poderia parecer atitudes puxa-saco.
Bem, depois da Residência teve a formatura que foi linda! Escolhi alguns amigos privilegiados (devido a pouca quantidade de convite não pude convidar a todos) para me acompanharem nesse dia de muita emoção. Afinal, quase três meses convivendo com pessoas que têm o mesmo objetivo que você, os mesmos desafios e sonhos é mais do que motivos para nos tornarmos amigos e torcermos uns pelos outros.
a Residência abriu muitas portas. Praticamente 90% dos residentes estão empregados. Fique dois meses com medo de nao conseguir trabalho, mas meu currículo - modéstia parte- falou mais alto. Fui chamada para trabalhar numa editora de revistas aqui do Estado. Escrevi para públicos mais diversos, realizando um desejo que era escrever para revistas. A experiência foi ótima, embora eu queira muito, um dia, fazer parte de uma revista feminina. Enfim, depois de três meses lá, eis que a Gazeta me chama novamente. A alegria e aceitação foi imediata. Depois de passar por dengue e tensão pré-monografia ( que fui aprovada, e muito bem aprovada, thanks!) amanhã começo a minha mais nova jornada em um jornal diário, que sempre foi meu objetivo principal. 2010 está sendo o ano da minha vida, seis meses de vitórias e sucessos. Espero que continue assim, porque estou muito feliz =D
Bem, voltarei a postar sempre que algo interessante acontecer. Poderia falar que será todo dia, porque o que uma redação jornalística mais tem é notícia, porém, também preciso de um tempinho para minha vida social que anda meio agitadinha.
Fico por aqui.
Boa sorte a todos que passam por isso. Vale a pena!

sábado, 17 de outubro de 2009

Selinho na boca larálarálará

Residência, quinta-feira, 15-10
O dia começou com Rodrigo Rezende, o outro Rodrigo e Guido Nunes contando da experiência deles. Foi muito bom. Nõ sei porque eram pessoas da nossa idade ou porque, realmente, eram divertidos, mas eles souberam conversar. Tanta experiência em tão pouco tempo. Confesso que me bateu uma invejinha rsrsrsrs. Poxa, eles têm a minha idade. Aff. Isso que dá estudar em escola pública e perder o ano. Mas enfim, só tenho que agradecer por estar onde estou =D
Na parte da tarde foi um dos melhores dias. Fui acompanhar o maluco do Rafael Poto, com todo respeito, a fazer uma matéria sobre carros importados de luxo que foram apreendidos pelo ministério público. Digo que ele é maluco porque ficou cantando uma música do Latino. Acontece que ele só sabia uma parte e aquilo ficou na minha cabeça: selinho na boca laralaralará intimidade louca laralaralará... e por aí vai. Mas que matéria difícil. Precisava de um dicionário para traduzir tudo o que eles falavam. Então, fomos para o galpão ver os carros. Foi tanta alegria misturada a sofrimento momentâneo na minha pobre alma. Ai gente, quanto carro lindo tão perto e tão longe. Carros que só via em filmes. Estavam tão empoeirados que dava dó. Tive que deixá-los com uma dor no peito. O bom é que eles vão a leilão. Se eles parcelasse em 999 vezes com o primeiro pagamento daquei a dois anos, com certeza eu poderia pagar por um amarelo lindo que eu vi lá. Mas acho que eles não parcelam não...

Multimidialidade on more time

Residência, quarta-feira, 14-10
Wagner Barbosa abriu a discussão de hoje. Editor do Gazeta online falou de toda a sua experiência no jornal e no rádio e da implantação do jornalismo multimídia na Rede Gazete. Foi bem legal, embora ele tenha dito o que quase todos os outros palestrantes disseram. Já até posso dar palestra sobre a multimidialidade da Gazeta. Resumindo: CBN e Gazeta Online se juntaram primeiramente e depois veio o jornal, mas essa interação ainda nao acontece perfeitamente porque vários reporteres recebem a mesma pauta e não sabem o que fazer. Mas o que vale é a intenção rsrs.
Depois do almoço eu, Kati e Rodrigo Rezende fomos terminar de apurar a matéria do horário de verão. Primeiro fomos numa especialista do sono que também tem problemas para dormir no horário de verão. Achei super engraçado, mas fiquei na minha. Depois fomos falar com uma nutricionista sobre alimentação para o verão e para não tirar o sono. Ela tinha um jaleco rosa, tao bonitinho. E era tão simpática. Adorei as duas. O legal é que o Rodrigo até nos incentivou a perguntar algumas coisas as especialistas. Me senti A reporter rsrsrs Quando chegamos na redação fomos quebrar a cabeça para não escrever nada clichê. Foi difícil, mas acho que consegui dá uma "embromada" no texto. Bem, o jeito agora é esperar a coreção da Ana Laura.

O que você acha do horário de verão?

Residência, terça-feira, 13-10
Hoje teve palestra com Luciane Ventura, gerente de jornalismo Rádios e Internet. Adorei a palestra/conversa dela. Ela tem uma vasta experiência em todas as áreas do jornalismo. É daquelas pessoas em que a gente tem que grudar na primeira oportunidade que aparecer. Segundo Luciane, ela era daquelas meninas chatas que grudava nos repórteres e acompanava a reportagem mesmo se nao tivesse permissão pra isso. E foi com essa garra e essa cara-de-pau que ela conseguiu chegar onde ela está. Ela também passou um daqueles vídeos motivacionais (ao era bem isso, mas eu enendi assim e me sinto feliz com o meu entendimento) e só fez crescer a minha paixão pelo jornalismo online. Mas eu to tão empolgada com qualquer área que já nao faço ideia do que quero fazer. Só sei que não nasci para assessoria de imprensa, embora respeite muito o trabalho desses excelentes profissionais.
Bem, a tarde não teve nada demais. Fui para a rua apurar matéria sobre o horário de verão. Algo bem simples, sem mistérios. Uma daquelas matérias que saem todo ano e que o jornalista se desdobra para parecer algo muito interessante que faça as pessoas lerem. O legal é que hoje fui com o Rodrigo Rezende, um dos ganhadoes do prêmio capixaba de jornalismo. Uma pessoa com uma inteligência enorme e com muita boa vontade em responder a todas as perguntas que eu e Katilaine fizemos no percurso do dia. Mas hoje só foi a primeira parte da matéria. Ela continua amanhã com a entrevista de duas especialistas em sono e nutrição. Dia tranquilo.

Feriado para quem?

Residência, segunda-feira, 12-10-09
Parafraseando meu amigo Rick, feriado para quem?
AS nove horas da manhã, pontualmente, Cristina estava lá na Gazeta. Depois de ter tido um final de semana extremamente cansativo, eu estava lá na Residência para mais uma maratona de palestras e trabalhos. Eu, que tinha a ilusão d epoder descansar no final de semana e dar uma boa adiantada na minha monografia, fui surpeendida pela minha memórias as 16 horas de sábado, dia 10, de que na segunda feira seria o dia das crianças. Muita perdida no meu tempo e espaço, me lembrei também que tenho um afilhado de três anos que ficaria muito decepcionado se eu não levasse nem um pirulito. Então fui eu no sábado para a antiga Casa dos Brinquedos, em Laranjeiras. Vi o inferno de perto. Todas as crianças do mundo estavam dentro daquela loja e todas a mães estressadas do mundo também. E lá se foi o restinho do meu instinto materno. Isso que dá deixar tudo para a última hora.
Bem, continuando. Na segundade manha tivemos palestra com Renato Costa Neto, aquele apresentador do Conexão Geral e dito de Convergência de Mídias. Estava muito ansiosa por essa palestra porque poderia ajudar, e muito, no meu projeto de pesquisa sobre jornalismo no celular. Só que não foi do jeito que a gente esperava. Ela contou muitas coisas legais, entretanto, nem lhava pra gente. Falou olhando o tempo todo no notebook e aquilo me deuma afliçao. Foram quase três horas assim, ele falando só com o computador. Não gostei não. Mas enfim, valeu pela intenção.
Na parte da tarde, nada demais. Hoje eu não fui para as ruas. A redação estava super vazia por causa do feriado. Fiquei no Gazeta Online finalizando alguns textos e consegui chegar cedo em casa. As 19h há estava no meu lar doce lar pronta para mais quatro horas de estudo. Acho que to meio sem vida pós Gazeta.