terça-feira, 1 de julho de 2008

Tupiniquetes 2008/1


Então, fomos jogar o torneio de comunicação social da Ufes, o Futcom. Ele acontece uma vez por semestre e junta os mais "pernas-de-pau" do masculino e feminino do curso, mais agregados, diga-se professores e vão todos jogar uma "pelada". É o segundo maior evento do curso, depois do Churrascom, e todos anseiam por receber a tradicional taça que nos glorificará por no máximo duas semanas! É engraçado ver que as meninas das outras turmas realmente querem levar o prêmio e jogam "na raça", ao contrário do meu time, as Tupiniquetes. É incrível ver que a cada clique de foto nos paramos para fazer pose, nao importa em qual momento do jogo estamos. Tem gente que segura a bola com a mão, que arranha e machuca as calouras, que dança no meio do jogo, que bebe antes de entrar em campo...tudo isso é o nosso diferencial hehe. Mas algo muito peculiar aconteceu no último jogo. Quem conhece as Tupiniquetes sabe que nós NUNCA ganhamos uma partida e nunca fizemos um gol (grandes coisas), mas foi incrivel como nossos olhos se voltaram para o gol que nunca existiu. Uma das jogadoras titulares, a Letícia, jogou a bola em direção ao gol e diz o juíz e a torcida que a bola não entrou, mas essa parte do "não entrar" nós do time não vimos. Comemoramos como se tivessemos ganhado a Copa do Mundo. Foi incrível. O nosso primeiro gol (que não foi gol) nos proporcionou momentos incríveis de alegria e satisfação. É lógico que não ganhamos, mas decidimos pelos bem das Tupiniquetes, considerar o gol que não foi. Afinal, foi o tal do arbitro que nem era do time e veio tirar onda pra cima da gente. Ninguém merece! Um estranho querendo estragar o nosso rock. Nunca, Jamás!

Nenhum comentário: