sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Dar ou não dar

Algumas coisas mudam muito com o passar dos anos. Uma delas é a questão da sexualidade, de como lidamos com o nosso corpo e vida. Observei algumas meninas da Ufes ao longo do curso e percebi uma transformação semi-radical do pensamento em relação a esse assunto.
No Ensino Fundamental estudei no Colégio Cedaf, em Jacaraípe, e tinha uma menina um pouco mais velha que a gente e um pouco mais "vivida" também. Ela tinha namorado na época e mantinha relações sexuais com ele. por isso, a maioria das menians que estudavam comigo não conversavam com ela, já que ela não era mais virgem. o pior não era isso, era que ela tinha má fama na escola justamente por ter uma vida sexual ativa.
No Ensino Médio estudei no colégio Alternativo, em Barcelona, e as meninas já tinham um pouco mais de maturidade, mas não muita. Uma amiga minha, de 16 ou 17 anos na época perdeu a virgindade com o namorado. foi o assunto da sala, muitas queriam saber como foi, o que os pais iriam dizer, o que ela achou da "primeira vez", se ela pensava em contar pra mãe, se não tinha risco de ter ficado grávida, se gostou...etc Nesta sala onde eu estudava, duas de minhas colegas ficaram grávidas: uma abandonou os estudos e a outra segui adiante com o apoio da família e dos amigos. As meninas aceitavam melhor a ideia de que uma adolescente pudesse ter relações com o namorado, embora causasse curiosidade naquelas que eram virgens ainda. Não eram discrimidas, eram apenas "exploradas", a quem recorríamso quando queríamos saber alguma coisa mais "picante".
Agora na Ufes as coisas são completamente diferentes: não se aceitam as virgens. Uma garota pode até entrar na universidade sem ter mantido relaçoes com alguém, mas ela "obrigatoriamente" tem que sair de lá experiente no assunto. Nunca vi tanta babaquice juntas. por que uma universitária não pode esperar o seu momento especial? (Embora acredite que não há algo de especial nisso!). Conheci pessoas que diziam pra quem quisesse ouvir quem era ou não a virgenzinha da sala. E o pior: se a estudante tem mais de 19 anos eles não acreditam que ela possa ser virgem!
Agora me digam: exite idade limite para "dar" ou não pra alguém??? Agora mulher tem prazo de validade??? Isso porque eu ainda não falei da minha percepção sobre a raça masculina.
Dar ou não dar. eis a questão. Se antes, quem praticasse sexo antes dos 16 era considerada puta, com 17 era motivo de fofoca e curiosidade, com 20 é sinônimo de normalidade e quem não comete este ato normal depois dos 20 é a estranha/mentirosa da facul.
Acho que tá na hora de revermos nosso conceitos!!!( Se é que eles existem)

Um comentário:

Marcel disse...

Dá dá dá...
Dá beijinho nas meninas...
rsrs...

Isso é verdade mesmo. Mas convenhamos: é possível uma garota ter mais de 19, estudar na Ufes e ser virgem ao mesmo tempo??? Difícil...