sábado, 22 de novembro de 2008

Instinto Selvagem

Embora este post pareça ser meio sugestivo, na verdade não passa de uma semi-resenha crítica sobre o filme Instinto Selvagem 2.
Faz uns dias que eu vi o filme. Depois de ter lido milhares de críticas negativas fui eu mesmo tirar a prova pra saber se era tão ruim como diziam. Na verdade era bem pior do que eu imaginava! Não vi muitos pontos positivos e percebi que esses artista de Hollywood gostam mesmo de gastar dinheiro à toa. O roteiro é ruim, a iluminação é pessima, os artistas são horríveis...mas de uma coisa eu gotei: a intenção da história. Não vi o primeiro filme, li apenas o livro (que é muito interessante para quem gosta de romance policial) mas esse filme me chamou a atenção.
Instinto Selvagem 2 fala de tudo que nós queremos ser, queremos fazer e não fazemos por causa de nossa consciência, por valores morais e éticos, religiosos... enfim. O filme fala de sexo e violência, sentimentos que estão junto com agente o tempo todo,mas que ficam escondidos no nosso subconciente. Isso explica porque algumas pessoas ditas pacíficas cometem crimes hediondos de uma hora para outra. Mas nao é de uma hora para outra. A pessoa guarda aquilo dentro de si por anos, talvez décadas até que um dia nãoa guenta amais e vem a se tornar como o humano que somos...vem o seu instinto selvagem a tona. Da mesma forma o desequilíbrio, a possessividade, o ciúme. Tudo isso está dentro de nós a todo o instante.
Mas da parte da convivência até hoje, graças a Deus, não convivi com pessoas que fossem violentas dessa forma, mas conheço relatos de pessoas que outrora eram ditas "santas" e agoras são os fenômenos do sexo. Aconteceu de repente? Não. Da mesma forma que aocntece com a violência, o sexo se torna algo exagerado, para não dizer selvagem a medida que se usa os estímulos "certos" para isso.
De uma forma mais branda, deixarei o sexo e a violência de lado. Falarei dos instintos que eu convivo ultimamente: o de pirigueti! Não, não estou falando que sou uma nem estou dizendo que não sou. Estou apenas falando que esse instinto de ser uma pirigueti está dentro de cada mulher. Quantas meninas/mulheres eu vi que criticavam outra mulher por agir de forma mais ousada com alguns homens e hoje fazem a mesma coisa. Elas mudaram? Claro que não. Apenas assumiram a sua face oculta, o que estava dentro delas o tempo todo, mas que seus valores não deixavam que elas demosntrassem. É como dizem: tudo que é proibido émais gosostos, mas não deixa de ser proibido. Dessa forma é muito mais fácil criticar, negar a sua natureza do que aceitar suas vontades, seus instintos.
Não digo que o mundo será melhor quando uma menina falar "sou pirigueti" sem medo do que as pessoas pensem ou sem razão de querer chamara atenção, porém acredito que serámais sincero e esse é outro ponto: Todos querem que a pessoa a sua volta seja sincera,mas ninguém quer ouvir a verdade. Complicado não? E aí? Você assumiria seus instintos selvagens?