quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Tropeços em meus momentos fúteis



Na segunda de manhã fui colocar em prática um de meus momentos fúteis fundamentais do mês: ir ao salão de beleza. Levantei as cinco da matina, me arrumei de forma básica (sem todos os meus adereços), peguei o ônibus e fui para o Instituto de beleza em Santa Lúcia. Quase chegando no local, dei uma rápida cochilada que me fez perder o ponto. Estava chovendo um pouco, tive que caminhar mais do que era necessário, estava com sono, com fome...mas nada disso me aborrecia já que a vontade (e necessidade) que eu tinha em dar um "realce" nos meus cachos era muito maior do que qualquer manifestação climática ou hormonal.


Quando cheguei havia cerca de umas 40 mulheres na minha frente. Pensava eu que o fato de estar chovendo na segunda de manhã afastaria a idéias de outras irem ao salão também. Pobre de meus pensamentos! Bem que eu havia lido nos jornais sobre as imensas filas que aconteciam nos salões por ser época natalina. Enfim, entrei na fila e fiquei lá esperando. Eram 7:00am e o salão abria as 7:30hs. Atrás de mim, para minha sorte (?) tinha uma amiga antiga de meu pai. Não sei o que passa na cabeça dessas pessoas que alguém que está como fome, frio, sono, cansada e pronta pra gastar o dinheiro que não tem quer ficar conversando as sete da manhã. Ela não parava de falar. Sei que ela se casou novamente, que vai se ,udar da Serra pra Vila Velha, que a Igreja é perto da casa dela, que o filho maior já mora sozinho, o menos tá no cursinho e por aí vai. Tudo porque eu simplesmente falei "oi, tudo bem?!". Descobri com isso que as mulheres são muito carentes de manhã. Quanto mais cedo, mais carentes. Enquato ela falava minutos a fio que pra mim pareciam horas uma outra mulher começava a dar seu ataque matinal.


Nunca tinha visto aquela mulher lá antes. Estava um pouco atrás de mim e, segundo ela, fazia tempo que não ia lá. Não sei o nome dela e nem me interessa saber. Por isso, a chamarei "carinhosamente" de Perua-Gorda! Peço desculps às minhas amigas fofinhos e a associação de peruas que também faço parte, mas não há outro "nome" que posso colocar nesse ser.


Essa Perua-Gorda chegou um pouco tarde e já reclamava que tinha que ficar na fila. Ela foi levar a pobre da filha dela de uns 13 anos, que se chamava Mariah, para se embelezar um pouquinho. A louca da mulher começou a gritar, literalemtne, que era um abuso que as mulheres esperassem tanto tempo para serem atendidas. Detalhe: o salão ainda não tinha sido aberto. Ela gritava que só porque as mulheres eram negras estavam esperando na chuva, que se fosse com gente branca isso nao aconteceria (a Perua-Gorda era branca e sua filha, mestiça!). Falou que iria chamar os jornais locais para fazer uma denúncia, que não se importava se as pessoas riam dela porque um dia todas iriam agrader ao seu "ato".


Depois de tanto infernizar a vida de todas que estavam lá, uma das atendentes do salão fez uma fila dupla e colocou todas nós para as dependência externas do salão. Quando entramos, ela recomeçou a reclamação. Falava e falava e falava que ela iria chamar os órgãos copetentes se se ela não fosse atendida em 15 minutos já que , para os bancos agora há lei que beneficie os clientes. Mas acho que ela não entendeu direito: a lei não é para bancos de salões de beleza e sim para bancos do setor financeiro, mas eu não ia explicar isso. Por fim, chegou uma das gerentes e explicou que realmente tinham muita gente para ser atendida, mas que todas as funcionárias do instituto estavam trabalhando para melhor nos atender e blá blá bla... (Por que ela não apgou mais caro para ser atendida???)


Ela ficou calma! Áí eu pensei: pronto, agora posso relaxar como sempre faço! Li algumas coisas, vi televisão e fiquei na espera de meu pai chegar para pagar a fatura (hehe). Quando finalmente fui atendida, por zuação de algum deus fanfarrão, a filha da Perua ficou do meu lado. Pobre menina, parecia ser simpática. Me deu um sorriso meuio tímido e ficou na dela. Do nada, vem a Perua reclamando que todas as vezes que a filha dela ia ao salão ela passava mal e começou a reclamar novamente. Depois desse surto, ela some e reaparece com um pote de salada de frutas obrigando a Mariah a comer porque, segundo ela, tinha "leite condensado". Não sei ao certo qual tipo de reação isso pode causar no organismo, mas ela empurrava na boca da menina de uma tal forma usando essa desculpa que resolvi até dar uma estudada sobre as propriedades nutricionais do leite condensado. Enfim, não achei nada demais não, além do sabor, lógico.


Depois da salada de frutas, fui perceber o quanto era inocente. Pobre de mim, pensei que ela tinha ido embora ou se conformado com o não-sei-o-quê! Mas não, ela voltou! Na hora de pentear os cabelos, lá estava ela reclamando do cheiro que ficou no cabelo da filha dela. Sim, ela mandou chamar a gerente e novamente Mariah volta para o lavatório. Nunca, em minha vida, eu pensei que fosse tão sacrificante um dia no salão de beleza, algo que antes para mim era tão bom quanto chocolate. Sei lá, acho que não gosto mais tanto de salada de frutas...

Um comentário:

Thyanne disse...

Que Belo começo de dia em irmã!!! hehe
Menina antigamente, salão era relaxar e colocar as fofocas em dia hein rsrs. Como as coisas mudam!!!
Bjin!!!
Obs. Propriedades nutricionais do leite condensado??? haushaushuas